O olhar de Dalai Lama sobre o mundo corporativo

Um dos palestrantes do evento “Uma nova consciência nos negócios”, realizado em São Paulo, foi o líder budista tibetano Dalai Lama. De acordo com reportagem divulgada pelo portal HSM sobre sua conferência, o olhar de Dalai Lama serve para sistematizar pelo menos quatro propostas de renovação para o mundo corporativo. Na análise de Adriana Salles Gomes, editora-executiva da HSM Management e responsável pela cobertura do encontro, esses são os pontos fundamentais defendidos pelo líder budista, como aponta a matéria do portal HSM:1. A adoção de métricas de desempenho mais abrangentes do que as atuais.
Para Dalai Lama questões como o elevado número de gestores com problemas de saúde, as mortes em massa que houve por conta de guerras e fome no século 20 e o congestionamento de carros nas ruas das grandes cidades são indícios de que o atual modo de fazer negócios não vai bem. Na visão dele, tudo isso traz prejuízos aos negócios e também é gerado pelo modo de produção atual. Portanto, é preciso que as lideranças incluam critérios que ainda não são levados m consideração no mundo corporativo;

2. O uso de princípios morais como paradigma gerencial principal.
De acordo com o líder espiritual, as pessoas devem começar a entender a verdadeira causa da maior parte dos problemas correntes: a falta de princípios morais. É o que faz com que as pessoas se sintam solitárias por dentro e suspeitem de todo mundo – o que as leva à ganância e, por tabela, às especulações que vêm causando as últimas crises financeiras.

A adoção de princípios morais no mundo dos negócios tornaria as empresas verdadeiramente transparentes. Outra vantagem seria a redução da corrupção, que na visão de Dalai Lama, se alimenta dessa falta de princípios morais nos governos e nas empresas.

3.
Uma reforma educacional mundial, visando ensinar primeiro ao coração e depois ao cérebro – e que seja secular.
Frisando que não tem nada contra a ciência e a tecnologia, o Dalai Lama alertou que seus usuários podem oferecer grandes riscos à sociedade se seus corações não forem devidamente educados. Para ele, é necessário priorizar o cultivo da inteligência emocional (dos princípios morais), para depois cultivar o cérebro. Dessa forma, sentimentos como compaixão devem ser ensinados e nutridos nas escolas. E o líder budista frisou que essa educação do coração jamais deve ser vinculada a princípios religiosos, devendo, aliás, incluir o respeito à diversidade religiosa.

4. Uma mudança radical no método atual de resolução de problemas.
Dalai Lama afirmou que problemas sempre existirão. No entanto, defendeu que força e poder, princípios atualmente em vigor para a solução de conflitos, sejam substituídos pela negociação; um método mais espiritual e eficaz. Não importa quanto demore nem quanto custe, a negociação deve ser o princípio da resolução de problemas. Sua maior eficácia é indiscutível, afirmou o líder budista.

Com informações do portal HSM:
http://www.hsm.com.br/editorias/gestao/dalai-lama-propoe-novos-paradigmas-e-metodos-gerenciais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *